A Galvanização

A Galvanização

PROCESSO

            O processo de galvanização a fogo consiste na limpeza das peças de aço seguido da imersão em banho de zinco fundido, atingido a interação metalúrgica entre o aço e o zinco.                                                                                                                                                         

APLICAÇÕES

           A galvanização é o metódo de proteção a corrosão mais versátil e econômico  para proteger o aço por longos períodos.

           Sua aplicação se estende por vários segmentos da indústria como siderurgia, agricultura, construção civil, petrolífera, energia, transporte, telecomunicações, etc. Veja ao lado alguns exemplos do uso desta tecnologia.

Vantagens

Vantagens

Total  Cobertura


Superfícies  internas, externas, cantos vivos e fendas estreitas  são totalmente revestidas através do processo  de imersão da peça em zinco fundido. Somando-se a isto, o processo de galvanização  mantém a espessura do revestimento nos cantos  e bordas.

Facilidade  de Inspeção

O produto galvanizado pode ser facilmente inspecionado. A natureza do processo é contínua e a camada tende a ser uniforme. A espessura do  revestimento pode ser facilmente verificada a qualquer momento através de equipamento de medição de camada e por testes não destrutivos.


Rapidez no Processo


Em alguns minutos, pode-se obter um revestimento sobre  uma peça. A Beretta com suas duas plantas é a maior prestadora de galvanização para terceiros do país.
Ao fim da galvanização, é feito acabamento no material e este já está pronto para ser utilizado


Proteção  da Galvanização


O  revestimento produzido pela galvanização  protege o aço de três maneiras:
1. O revestimento de zinco que se une ao aço tem função sacrificante no ambiente em que está instalado. Sua duração varia de acordo com os locais.


2. O revestimento é corroído preferencialmente,  fornecendo uma proteção catódica  (de sacrifício) para as pequenas áreas  da peça expostas ao meio ambiente devido,  por exemplo, ao esmerilhamento, cortes ou danos  acidentais. Se o revestimento for riscado, os sulcos  são preenchidos por compostos de zinco formados  pela corrosão ambiental, os quais impedem  que o metal base seja corroído;


3. Quando a área danificada é extensa,  a proteção catódica do zinco  impede que a corrosão se propague sob onde ainda há camada.

Baixo Custo de Manutenção


A galvanização é o meio mais versátil e econômico para se proteger o aço por longos períodos de tempo contra a corrosão. Em equipamentos ou estruturas localizados em áreas de difícil acesso, montadas de forma compacta ou ainda com restrições quanto à segurança, o aumento dos intervalos de manutenção reduz os custos decorrentes desta operação e da interrupção de serviços.

Durabilidade


A  durabilidade dos produtos galvânicos é  diretamente proporcional à espessura do revestimento  de zinco e inversamente, à agressividade do meio  ambiente. Ela costuma atingir 20 anos em atmosferas  industriais, 20 anos na orla marítima e mais  de 25 em áreas rurais. 

Confiabilidade


O processo de galvanização  é simples, direto e totalmente controlado.  A espessura (massa) do revestimento formado é  uniforme, previsível e de simples especificação  (NBR 6323). 

Tenacidade

O processo de galvanização forma uma interação entre o aço e o zinco a ponto de criar camadas de liga FeZn e Zn.
Este revestimento confere ao produto galvanizado  uma grande resistência mecânicas durante a manipulação, estocagem, transporte  e instalação. Além disso, a dureza  do revestimento faz com que ele seja particularmente  adequado em aplicações, onde a abrasão poderia ser um problema.
 

Dicas

Dicas

Da não-uniformidade da Camada de Zinco

Para a garantia de uma galvanização de qualidade e da proteção dos materiais contra a corrosão, o mesmo deve ser receber atenção no preparo, para que o zinco seja aplicado de forma mais uniforme possível. Sendo assim, os resultados são eficazes e garantem a proteção contra a corrosão durante gerações.

 

Importância da Furação de Peças


O conceito aplicável para furação é que as peças sempre entram no banho inclinadas. Devem existir furos, passantes ou não, para o "enchimento", escoamento e alívio da pressão durante o enchimento, possibilitando a eliminação do ar e dos gases.

Galvanização x Pintura


A galvanização a fogo fornece muitos anos de proteção contra a corrosão sem necessitar de nenhum tipo de manutenção. Os sistemas de pintura exigem diversas manutenções para manter a integridade das estruturas metálicas.
Após alguns anos os sistemas de pinturas vão se desgastando, e depois que a barreira protetora da tinta é rompida, a ferrugem ataca as partes expostas da estrutura metálica, descascando a área pintada.
Quando a tinta começar a descascar e os pontos expostos começam a enferrujar, é necessário limpar completamente a área enferrujada e então aplicar mais tinta.
A nova pintura se desgastará da mesma forma que a antiga.
O ciclo se repete ao longo do tempo e constantes manutenções são necessárias, o que não ocorre com a galvanização a fogo.
Por ser um processo de imersão, a galvanização atinge o exterior e o interior de tubos e postes, o que é impossível com a pintura que não protege contra a corrosão interna.

Estática do Material Galvanizado


A combinação dos diferentes tipos de aço no mesmo material pode resultar em diferentes matizes, ouse seja, uma parte pode ficar com brilho, enquanto a outra pode ficar fosca.
A aparência fosca da cobertura é devido à ligas intermetálicas zinco-ferro, geralmente causadas pela composição química dos aços reativos.
Quando a parte mais externa da camada é de zinco puro, a aparência é mais brilhante, luminosa. Apesar da diferença das aparências, as duas possuem a mesma proteção contra a corrosão.

Dúvidas

Dúvidas

O que é a galvanização?

A galvanização nada mais é  do que um processo eletrolítico que consiste em revestir  superfícies de peças metálicas com  outros metais, mais nobres. Esse processo tem por objetivo  proteger uma peça de metal da corrosão, bem  como conferir melhor acabamento estético ou decorativo  à mesma.


Quais os tipos de galvanização existentes?


Existem diferentes tipos de galvanização,  sendo um dos mais antigos e eficazes a zincagem por imersão  à quente, ou galvanização a fogo. O  principal objetivo deste processo é impedir o contato  do material base, o aço (liga Ferro Carbono), com  o meio corrosivo.



Como surgiu a galvanização a fogo?


Em 1741, o químico francês  Melouin descobriu que o recobrimento de zinco poderia proteger  o aço da corrosão. Em 1837, o engenheiro Sorel  patenteou a galvanização a fogo utilizando  o termo galvanização (do nome de Luigi Galvani,  1737-1798, um dos primeiros cientistas interessados na eletricidade)  porque é a corrente galvânica que protege o  aço. Ela se denomina desta maneira porque quando  o aço e o zinco entram em contato em um meio úmido  é criada uma diferença de potencial elétrico  entre os metais.



Quais são as vantagens da galvanização a fogo?


O principal objetivo da galvanização  a Fogo é impedir o contato do material base, o aço  (liga Ferro Carbono), com o meio corrosivo. Para se obter  um acabamento perfeito da zincagem é necessário  que as peças estejam completamente limpas, tornando-se  necessário a eliminação de óleos,  graxas, óxidos, cascas de cola, tintas ou qualquer  outro tipo de substância do metal base. Para que isso  aconteça o processo de galvanização  deve consistir de uma série de banhos em soluções  específicas que preparam o material para receber  o banho final, que é o de zinco, que conclui o processo.



Como é o processo de galvanização  a fogo?

Veja animação no início desta página.

O processo de galvanização  a fogo consiste em limpeza de peças de aço  ou ferro fundido com posterior imersão no zinco líquido,  esse processo de limpeza é um meio versátil  e econômico de proteger estruturas, peças e  equipamentos contra a corrosão. Esse processo consiste  em 7 fases (banhos) importantes para a limpeza e imersão  de peças.


Primeiro Banho: Desengraxante - O processo inicia  com o material a ser galvanizado sendo fixado em uma grua  aérea, que percorre todo o comprimento da fábrica  destinado ao processo. Após isso, o material preso  à grua começa o processo sendo mergulhado  em uma cuba repleta de soda cáustica. Isso gera vapor  que é coletado pelos ventiladores para tratamento  nas torres de lavagem de gases.

Segundo Banho: Lavagem - O segundo banho é  feito com água quente para retirada do ácido  e limpeza em geral, não gerando resíduos.

Terceiro Banho: Decapagem - Ácido muriático  é o reagente do terceiro banho. Devido à saturação  do ácido, o líquido é encaminhado à  estação de tratamento via bombeamento.

Quarto Banho: Lavagem - Consiste na lavagem do  material com água, para limpeza em geral. A água  é enviada para tratamento através de bombas.


Quinto Banho: Fluxagem - Na fluxagem são  utilizados o cloreto de amônia e o cloreto de zinco.  Serve para abrir os poros do ferro para maior ancoragem  do zinco. Essa etapa do processo gera vapor que é  encaminhado à torre de lavagem

Sexto Banho: Banho de zinco fundido - Processo efetivo  de proteção do ferro, que é mergulhado  em cuba com zinco derretido. Gera a borra de zinco na superfície  e o zinco ferro no fundo. Ambos resíduos são  removidos e vendidos para terceiros.

Sétimo Banho: Passivador - A conclusão  do processo acontece com a aplicação de água  e ácido cromo, que serve de proteção,  sobre o zinco, contra a corrosão branca. Após  um rápido estágio de acabamento, o material  está galvanizado e pronto para o uso.

Galvanização Beretta Ltda.
Fone: (47) 3452-0020 / 0151 / 0157 / 0350
BR 101 KM 70, 10370 - CEP 89245-000

Araquari - SC

 

CNPJ 11.859.889/0001-83  

Inscr. Estadual 256/087504  LAO nº 8377/2012

© 2010-2016 www.gberetta.com.br · Todos os direitos reservados